Shopping Tijuca Torre 02, Sala 702 - Av. Maracanã 987 – Tijuca, RJ  Horário: 9:00 - 18:50  Telefones: (21) 3940 - 0670 | (21) 98688 - 7903
 Av. Ernani do Amaral Peixoto, 207 - sl 1402, Ed. Albert Sabin - Centro de Niterói  Telefones: (21) 3620 - 6237 | (21) 98940 - 7972

Shopping Cart

A Catarata

A Catarata é uma das principais doenças causadoras da cegueira, sendo responsável por 51% dos casos no mundo, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS). A doença é a perda gradativa da transparência do cristalino (lente natural dos olhos), impedindo a passagem de luz para a retina. Dessa forma, a visão nebulosa e com o avançar da doença a pessoa pode ficar cega.

 

Os principais sintomas da Catarata são:

  • Visão de “névoa” ou dupla;
  • O paciente começa a enxergar brilhos ou “círculos” luminosos;
  • Dificuldades para ler, escrever, dirigir ou andar;
  • Sensibilidade à luz.

No início, a catarata é silenciosa, por esse motivo, é importante ficar atento aos sinais que podem indicar a doença. Além da idade avançada, a Catarata pode ser ocasionada também por fatores, como diabetes, uso de corticoides, hipertensão, obesidade, glaucoma, fumo, consumo intenso de álcool, excesso de radiação, além do uso constante de colírios sem indicação médica. De acordo com os fatores, a doença recebe nomenclatura distintas. 

Os tipos de catarata

Causada pela velhice, a doença recebe o nome de catarata senil. Já a catarata congênita é quando o bebê já nasce com a doença. Os sintomas nem sempre são perceptíveis, mas costuma acontecer quando a mãe do bebê apresenta alguma infecção ou consumo intenso de álcool ou de drogas.

E a chamada catarata secundária é causada pelo uso indiscriminado de medicamentos e esteroides ou doenças, como o glaucoma e a diabetes. Além dessa, existem também as cataratas traumáticas, devido a uma lesão no olho ou na região, e a de radiação, formada após tratamentos envolvendo radiação, tendo como exemplo o tratamento contra o câncer.

O diagnóstico

O diagnóstico deve ser feito por um oftalmologista para que ele indique o melhor tratamento. Caso sinta algum dos sintomas citados anteriormente, procure um oftalmologista e relate todos os desconfortos para ajudar na avaliação médica.

Antes de realizar a cirurgia, o oftalmologista recorre a diversos exames, entre eles o de pressão intraocular, topografia da córnea, ultrassonografia do globo ocular, além de exame de sangue e teste cardiológico. Tudo isso para assegurar o melhor pré e pós-operatório.